Nos dias 22 e 23 de novembro, a diretoria da Signis Brasil reuniu mais de 35 pessoas em São Paulo, que formam os setores de Televisão, Rádio (RCR), Impressos, Diretoria e juventudes, a fim de avaliar e projetar o andamento das atividades de 2018.

 

O presidente da Signis Brasil, frei João Carlos Romanini, disse que as reuniões fecharam o ano com grandes construções. “Estamos consolidando o projeto de Pautas Conjuntas da Signis no Brasil, hoje elas fazem parte do debate permanente de nossas reuniões, trazem assuntos sensíveis da realidade para um debate permanente na sociedade. Estamos descobrindo caminhos para fomentar bons temas. Queremos ser outra voz na mídia, mas que comunguem com a ação evangelizadora de Igreja em saída, acolhedora e profética ”, explicou Romanini, salientando ainda que as reuniões são uma forma de praticar a cultura do encontro, e de favorecer a comunhão.

 

Na manhã da quarta-feira, dia 22, foi a vez das televisões Católicas associadas à Signis Brasil. O grupo, que se reuniu mensalmente, avaliou as ações conjuntas dos veículos. O coordenador do Setor, Geizom Sokacheski, salienta que foram desenvolvidas várias ações conjuntas. Ele diz que 2017 foi muito produtivo para as Televisões Católicas. Além de avaliar as ações nas reuniões, houve novas propostas e ideias em discussão, a fim de produzir informação de qualidade e promover mais unidade e cooperação entre as mídias de inspiração católica.


“Conseguimos atingir um amadurecimento neste ano, seja nas produções conjuntas com projetos especiais, que é uma das bandeiras da Signis Brasil, realizamos documentários muito bons, e estamos projetando uma agenda para que se realizarem mais no ano que vem e queremos continuar com as reuniões mensais pois elas favorecem o nosso diálogo e aproximação entre as produções das Televisões católicas do Brasil”, afirma o representante da Evangelizar é Preciso, que coordena o setor de comunicação.


Na tarde do dia 22, a Diretoria da Signis Brasil avaliou as ações e o andamento dos setores, e estabeleceu o calendário de reuniões para o 2018 com a possibilidade de realizar um encontro de formação para os associados da Signis, que venha ao encontro das realidades da comunicação católica, além de criar um setor novo: o de Juventudes. 


“A Signis desenvolve um projeto para as juventudes no âmbito de América Latina e Caribe, coordenada pela Jornalista Maria José Centurión. Quer organizar jovens para formação permanente para a comunicação. No Brasil estamos iniciando com uma coordenação que irá organizar o setor”, diz o presidente Romanini.
A coordenação do “Signis Brasil Jovem” foi aprovada durante a reunião da Diretoria de Signis, que vai estar a cargo do doutorando Ricardo Costa Alvarenga, 25, com orientação Educomunicativa para desenvolver e praticar conhecimento, projetos e ações de comunicação a partir da construção e aprendizado conjuntos. A iniciativa da Signis com o setor quer implantar, estruturar, formar e consolidar uma área voltada para o público em questão na Signis Brasil. Para efetivar o processo de estruturação à consolidação do novo setor, a meta de desenvolvimento é de dois anos. A orientação do projeto foi feita à luz do Programa de Formação de Jovens Comunicadores de Signis ALC Jovem, e assegura reflexão e formação de aspectos profissionais, interculturais, espirituais e políticos dos jovens membros associações nacionais de Signis.


Segundo Alvarenga, o objetivo geral é "incentivar os jovens comunicadores católicos a compreender criticamente a realidade social, cultural e econômica latino-americana, a partir de uma leitura cristã, profunda e comprometida, sob a inspiração da Laudato Sí, como parte do trabalho comunicacional e educativo, que promove o cuidado da casa comum". Uma das intenções da abertura ao público juvenil é trazer novos olhares para os integrantes de Signis Brasil.


Na quinta-feira, dia 23, foram realizadas as reuniões da Rede Católica de Rádio (RCR). Coordenada pela presidente a Relações Públicas, Angela Morais, a reunião tratou dos desafios da migração e andamentos dos processos de migração das AM para o FM, e as cobranças do ECAD.


Morais explica que, na quinta-feira, dia 29, juntamente com o vice-presidente Alessandro Gomes tomarão parte em reunião em Brasília, apoiada pela CNBB na Câmara Federal, para a criar frente parlamentar que defenda os interesses do rádio Católico. “Há emissoras de rádio condenadas a pagar valores abusivos por conta do ECAD, levando muitas à crise financeira”, conta o Vice-presidente, Alessandro Gomes.


Em paralelo, aconteceu a Reunião da Rede de Impressos Católicos, coordenada pela secretária Osnilda Lima. “Avaliamos a caminhada das pautas conjuntas e organizamos a agenda para o ano de 2018, que serão ampliadas com o rádio e a TV, e também apresentamos propostas de temas para um debate ampliado para o próximo ano o encontro de formação”, esclarece Osnilda. Como coordenação, os impressos elegeram Luiz Henrique Marques, da Revista Cidade Nova. “Esperamos para o próximo ano, consigamos reunir mais veículos e cumprir a maior parte das propostas entalecidas no plano da Signis”, destaca o novo coordenador.
As próximas reuniões presenciais acontecem em março e novembro de 2018, e cada setor fará suas reuniões conforme necessidade de cada setor.


 

Da Redação