Através da ONG Télécoms Sans Frontières (TSF), refugiados e migrantes da Venezuela que se encontram em Boa Vista (RO) ganharam uma central telefônica que possibilita contatos telefônicos com seus familiares através de chamadas gratuitas.

A ONG opera há mais de 20 anos em todo o mundo, possibilitando que pessoas que foram forçadas a se deslocar,  e se encontram em necessidade de assistência humanitária possam telefonar gratuitamente para seus parentes, ter acesso a informações dos locais onde estão vivendo e até mesmo conseguir oportunidades de trabalho.

A TSF tem escritórios na França, México e Tailândia, e já realizou missões para diversos países em todo o mundo. A ONG já havia trabalhado na América do Sul após desastres naturais como o terremoto no Peru (2001 e 2007) e no Chile (2010), e as inundações na Venezuela (2002), entre outros, possibilitando que as populações afetadas realizassem chamadas. Em abril, a TSF chegou ao Brasil para oferecer essa assistência aos milhares de venezuelanos que foram forçados a deixar seu país.

Aqui no Brasil, a ONG estabeleceu uma parceria com o ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados, para oferecer serviço diário de telefonia itinerante em cinco abrigos de Boa Vista, e no Centro de Referência para Refugiados e Migrantes, localizado na Universidade Federal de Roraima (UFRR). Buscando oferecer uma maior abrangência para sua operação em Boa Vista, o TSF também recebeu apoio do Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJM) e da Fraternidade Sem Fronteiras (FSF), intituições que também atuam em Roraima proporcionando assistência aos venezuelanos.