O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que as sociedades democráticas, os direitos humanos e o desenvolvimento sustentável dependem do "fluxo livre de informação".

Ban disse que o "direito à informação depende da liberdade de imprensa". A declaração foi feita para marcar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, esta terça-feira, 3 de maio.

O chefe da ONU declarou que "uma mídia livre, independente e segura é essencial". Ainda sim, Ban disse que frequentemente jornalistas são ameaçados, assediados, obstruídos e até mesmo assassinados em busca de informação.

Segundo o secretário-geral, muitos jornalistas estão presos, alguns em condições desumanas, por terem denunciado falhas nos governos, ações ilegais de empresas ou problemas nas sociedades.

Ban afirmou que a liberdade de imprensa e o fluxo livre de informação são necessários não apenas para informar os cidadãos sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS.

Para o chefe da ONU, as duas questões são necessárias para que a população mundial possa responsabilizar os líderes para que cumpram com as promessas feitas anteriormente.

O secretário-geral declarou que a mídia, inclusive a internet, serve como "os olhos e os ouvidos" das sociedades. Segundo ele, todos se beneficiam da informação fornecida pelos meios de comunicação.

Ban disse que a data este ano coincide com três marcos importantes: o aniversário de 250 anos da primeira lei de liberdade de informação, o 25º aniversário da Declaração de Windhoek, com os princípios da liberdade de imprensa, e a adoção da Agenda 2030.

O chefe da ONU está muito preocupado com o aumento da censura em vários países. Ele afirmou que "restrições à liberdade de expressão colocam uma algema no progresso".

Ban pediu a governos, políticos, empresas e a população em geral que se comprometam a "nutrir e proteger" uma imprensa livre e independente.