Foram escolhidos cinco peritos consultores para integrarem o Conselho Pré-Sinodal, presidido pelo Papa Francisco, que ajudará na preparação do Sínodo Especial sobre a Pan-amazônia, e entre eles está o salesiano padre Justino Sarmento Rezende, secretário inspetorial da Inspetoria São Domingos Sávio.

 

O trabalho dos cinco peritos será o de ajudar o Conselho Pré-Sinodal que ajudará na preparação do Sínodo Especial. Este Conselho é composto por Dom Claudio Hummes, Monsenhor Pedro Barreto, Mauricio Lopes como presidente, vice-presidente e secretário da REPAM – Rede Eclesial Pan-Amazônica; além de nove Bispos sendo um de cada uma das sete Conferências Episcopais dos países amazônicos e mais dois Bispos delegados da Amazônia do Brasil pela dimensão da Amazônia no país. Do mesmo modo, este Conselho será integrado por Prefeitos ou Chefes da Congregação para a Evangelização dos Povos, da Congregação dos Bispos, do Dicastério para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral e da seção II da Secretaria de Estado. Papa Francisco, que preside o Conselho, irá acompanhar a coordenação através do Cardeal Baldisseri, Secretário do Sínodo dos Bispos.

 

O processo de escolha para a seleção dos cinco peritos sobre a Amazônia aconteceu após uma consulta durante a reunião do REPAM em Puerto Maldonado, onde cerca de 30 nomes de possíveis peritos foram indicados. A partir desse número, foi solicitado ao Cardeal Hummes e Monsenhor Barreto que definissem, cada um, oito nomes que consideravam mais apropriados para realizar o serviço. Após reflexão diante de seus curriculos, foram escolhidos os cinco perfis necessários para este trabalho de consultoria: O Salesiano padre Justino Sarmento Rezende, indígena da Amazônia Tuyuca (Brasil), o Jesuíta padre Fernando Roca (Peru), o Diocesano padre Paulo Suess (Brasil), a leiga Marcia Oliveira (Brasil) e o padre Peter Hughes (Peru).

 

Os principais temas a serem trabalhados pelos consultores para o Sínodo serão: Territorial Pan-Amazônico; Dimensões diferentes Ministerialidade, liturgia, teologia inculturada, eclesiologia, espiritualidade Indígena e pastoral; Inculturação das Culturas Amazônicas e a História da Igreja na Amazônia.

 

Padre Justino Sarmento será responsável por trabalhar as questões relacionadas com o processo histórico dos Povos Indígenas e Comunidades Amazônicas; o Conceito da vida plena e a espiritualidade amazônica, e os Novos caminhos para o ministério e missão eclesial na Amazônia.

 

O trabalho dos consultores do REPAM, em conjunto com a Secretaria Executiva, irá apresentar um documento preparatório para o Sínodo Especial, este documento é conhecido como Lineamenta, de no máximo 30 páginas, onde apresentará um resumo dos temas propostos. Este documento será submetido à discussão e será aprovado pelo Papa, para após ser enviado a todas as instâncias participantes do Sínodo. O Segundo passo dos cinco peritos será o de receber as contribuições à consulta através da Lineamenta, para que seja preparado uma síntese que será integrada como Instrumentum Laboris, ou seja um documento de trabalho que será discutido e votado pelos padres sinodais na fase final do Sínodo em outubro de 2019, em Roma.

 

Sobre o padre Justino Sarmento - O Padre Salesiano Justino Sarmento Rezende é indígena Tuyuka. Mestre em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) em 2007, com dissertação intitulada Escola Indígena Municipal Utãpinopona-Tuyuka e a Construção da Identidade Tuyuka. É autor do livro A Educação na visão de um Tuyuka, dentre outros trabalhos sobre educação escolar indígena.

 

É diretamente envolvido com as questões em torno da educação escolar indígena, e vinculado ao debate sobre a criação de ensino superior indígena no Rio Negro. Justino Tuyuka é um dos seis indígenas membros do Grupo de Mestres Indígenas do Rio Negro, que recentemente propôs o projeto da Universidade Indígena do Rio Negro (UIRN). É apoiador da iniciativa do Instituto Socioambiental (ISA) com seu projeto Formação Superior Indígena, Interdisciplinar e Multicultural do Rio Negro. O mestrado de Justino Tuyuka foi sobre a escola piloto diferenciada promovida pelo ISA em parceria com as comunidades Tuyuka, que inspira as diretrizes do projeto de ensino superior do ISA.

 

Padre Justino Tuyuka é salesiano, e hoje atua como secretario inspetorial na Inspetoria São Domingos Sávio, em Manaus (AM). A Congregação Salesiana tem um trabalho centenário (103 anos na Amazônia) que iniciou no município de São Gabriel da Cachoeira em 1815, e hoje tem obras – faculdade, escolas, paróquias, obras sociais, missões, atendimentos sócio-educativo para crianças e jovens – espalhadas por quatro áreas. Área do Pará que abrange Belém e Ananindeua; área de Manaus que abrange também Manicoré; área de Rondônia e Madeira que reúne obras em Ji-Paraná, Porto Velho e Hmaitá; e a área do Rio Negro com as Missões Salesianas em Iauaretê, São Gabriel da Cachoeira, Maturacá, Santa Isabel do Rio Negro e Marauiá.

 

Sínodo do Bispos para a região Pan-Amazônia - O Papa Francisco anunciou, dia 15 de outubro de 2017, antes de rezar a oração mariana do Angelus, uma Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região Pan-Amazônia, que acontecerá em outubro de 2019. Esta reunião discutirá novos métodos para que a palavra do Evangelho chegue a esta porção do Povo de Deus comumente esquecida.

 

“O objetivo principal desta convocação é identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta. Que os novos Santos intercedam por este evento eclesial para que, no respeito da beleza da Criação, todos os povos da terra louvem a Deus, Senhor do universo, e por Ele iluminados, percorram caminhos de justiça e de paz”, disse Francisco no dia do anúncio.

 

Sobre a REPAM -  A REPAM – Rede Eclesial Pan-Amazônica se propõe a escutar, acompanhar, apoiar, animar, formar, servir, estimular, comunicar e unir as forças  para responder aos grandes desafios socioambientais.

 

É um organismo que aposta no protagonismo dos povos amazônicos na defesa e cuidado da casa comum através de um serviço de interconexão e articulação de ações.

 

Composta por voluntários, comunidades, paróquias, Dioceses, Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), Organizações e movimentos eclesiais como a Cáritas Brasileira, Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Comissão Pastoral da Terra (CPT) e entre outros, que através de participação ativa são corresponsáveis pela defesa da vida na Amazônia.

 

A REPAM, como os Rios da Amazônicos, é formada pela convergência dos nove países que formam a Pan-Amazônia, uma região com 7,8 milhões de quilômetros quadrados onde vivem 33 milhões de habitantes, incluindo 1,5 milhão de indígenas de 385 povos.

 

Seu trabalho é em conjunto com a Santa Sé, Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Secretariado da América Latina e Caribe de Caritas (SELACC) e a Confederação Latino-americana e Caribenha de Religiosos e Religiosas (CLAR).

 

 

Fonte: Isma