Por Pe. Judinei Vanzeto

Jornalista

 

Com o tema “A regra fundamental da nossa congregação é a vida de nosso Senhor Jesus Cristo”, cerca de 80 padres e irmãos Palotinos da Província Nossa Senhora Conquistadora (sede em Santa Maria-RS) realizaram de 02 a 06 de janeiro de 2017 o tradicional encontro anual em Vale Vêneto (RS) com o objetivo de refletir, partilhar e conviver.

 

Na abertura, o reitor provincial padre Clesio Facco destacou a importância de um clima de oração.

 

“Ao realizarmos esse nosso tradicional encontro aqui nessas terras que acolheram nossos antepassados e que nos concederam muitas benções, queremos gerar um clima de cenáculo a fim de que, pelo Espírito Santo, possamos verdadeiramente ser Apóstolos do Eterno Pai segundo a teologia de Pallotti conforme a perspectiva da Igreja latino-americana de ser discípulos-missionários de Jesus”, ressaltou Facco.


Espiritualidade e partilha - A manhã do dia 03 foi assessorada por dom Aloísio Alberto Dilli, bispo da diocese de Santa Cruz do Sul, a partir do tema central do encontro. Ele  destacou a experiência, o silêncio e escuta de Deus para melhor viver e servir.

 

“Jesus Cristo é o centro de nossa vida de consagrados e precisamos falar e nos encontrar mais com Ele antes de falar sobre Ele”, disse.

 

Na parte da tarde o padre Jadir Zaro e Irmão Leandro Carlos Benetti apresentaram uma síntese dos relatórios recebidos das Comunidades Locais sobre o que pode qualificar e contribuir para a vida fraterna e apostólica dos membros sublinhando cinco pontos: 1) Identidade e formação no carisma e espiritualidade Palotina; 2) formação com os leigos; 3) planejamento e trabalho em conjunto; 4) atenção especial às famílias; 5) e espírito missionário.


 

Presença do Conselho Geral - O Conselho Geral, com sede em Roma, foi representado pelo padre Denilson Geraldo, Conselheiro Geral, que trouxe saudações, palavras de ânimo e exortação para a Província. Na ocasião tratou sobre a vida consagrada palotina com ênfase na pertença à União do Apostolado Católico (UAC), Sociedade do Apostolado Católico (SAC) e durante o dia 04 refletiu sobre a UAC como associação de fiéis para organizar a caridade à luz da Doutrina Social da Igreja, Código de Direito Canônico e Direito Civil. “A missão da UAC é caminhar para as realidades sociais como associação católica, canônica e civilmente reconhecida”, explicou.

 

Partilha e comunicações - Os dias 5 e 6 foram dedicados para partilhas da realidade econômica tendo presente que tudo está a serviço dos membros e apostolado. A Comissão de Educação apresentou relatório e perspectivas de projeto educacional. A Comissão para Formação Permanente apresentou um projeto de curso contendo três módulos que contempla as seis dimensões da formação palotina. “Cada módulo terá a duração de 10 dias que serão dedicados para o cuidado de si, espiritualidade e estudo de temas”, explicou padre Mércio José Cauduro.

 

Missionariedade - Atualmente, os membros da Província estão presentes nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Amazônia. E nos países Argentina, Estados Unidos, Itália, Tanzânia e Moçambique. Padre Pedrinho Secretti, missionário em Namuno (Moçambique), partilhou sobre a realidade da missão. Em 2017 a Província entregou para as dioceses a paróquia Santo Antônio de Iporã (PR) e paróquia São João Batista de Santo Augusto (RS). Mas, por outro lado, assumiram três novas paróquias. Durante o encontro com unanimidade foi aceita a oferta de duas novas paróquias em Extrema e Nova Califórnia, que pertencem a Diocese de Rio Branco, no Acre (AC). Também a nova paróquia de Nossa Senhora de Fátima, desmembrada da paróquia Rainha dos Apóstolos, em Cascavel (PR).

 

Ainda de acordo com padre Clesio Facco, o encontro foi marcado pela alegria de se encontrar na fraternidade.

 

“A fraternidade cresce sempre mais entre nós e destaco os temas tratados de acordo com a 21ª a Assembleia Geral da Sociedade do Apostolado Católico. Tivemos um ambiente bem preparado pela coordenação, isto contribuiu para a participação. A partilha das experiências, sobretudo, da missão em Moçambique foi muito apreciada. Destaco enriquecedora presença do padre Denilson, Consultor Geral. As celebrações litúrgicas mantiveram a unidade. Avalio como uma ótima participação dos confrades nas reflexões, trabalhos em grupos e plenários”, avaliou o provincial.