A Juventude Missionária (JM) do Brasil se prepara para a sua III Missão Sem Fronteiras. A iniciativa promovida pela Pontifícia Obra da Propagação da Fé (POPF) será realizada entre os dias 11 e 21 de janeiro de 2018, na paróquia Santa Cruz, em comunhão com a paróquia Santa Isabel, ambas localizadas na cidade de Viamão, região metropolitana de Porto Alegre (RS).

Inspirada no tema “Juventudes, fé e discernimento”, e no lema “Procura ser um exemplo para quem crê” (cfr. 1 Tm 4,12), a Missão Sem Fronteiras terá como pano de fundo os desafios urbanos que são cada vez mais crescentes. O objetivo é ser luz em meio a tantas trevas, uma presença que desafia e fortalece.

Participam da Missão somente membros da Juventude Missionária e jovens assessores da Infância e Adolescência Missionária de todo o Brasil. As inscrições estão sendo realizadas por meio dos coordenadores estaduais da JM e se estendem até o dia 30 de novembro de 2017.

 

(Texto Portal POM)

Para o secretário Nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, padre Badacer Neto, a Missão Sem Fronteiras “segue o magistério do papa Francisco e é uma oportunidade de confirmar a nossa alegria na saída ao encontro com as outras pessoas, para que elas se encantem com Cristo e por meio do nosso testemunho”.

Em sua atividade com a JM a Obra da Propagação da Fé visa fortalecer o vínculo e a interação entre os jovens integrantes da JM e dos grupos de IAM de todo o país. Para a realização dessa experiência escolhe-se uma realidade para que jovens realizem visitas missionárias aliadas à promoção de oficinas sobre meio ambiente, cidadania e saúde.

Daniela Gamarra, da equipe de organização da III Missão Sem Fronteiras, afirma que sua expectativa é de que “os jovens missionários sejam um sinal alegre e positivo nas comunidades que serão visitadas. Diante dos inúmeros desafios de uma periferia urbana, com este exemplo, a Igreja do Rio Grande do Sul deverá se animar cada vez mais para a missão”.

A primeira Missão Sem Fronteiras ocorreu em 2015 no município de Ananindeua no Pará. Essa experiência missionária possibilitou uma aproximação dos jovens de todo o Brasil com realidades sociais da região Metropolitana de Belém. Já a segunda experiência ocorreu em Itapebuçu, distrito de Maranguape no Ceará, região, assolada pela seca onde os jovens puderam beber da fé popular e da resistência do sertanejo.

Para Lucas Guerra, coordenador Estadual da JM no Ceará, “a Missão Sem Fronteiras representou um novo ânimo na vida daquela comunidade, fortalecendo os vínculos e demonstrando a beleza de uma Igreja peregrina e pautada pela memória, coragem e esperança”.