A recente crise na Venezuela desencadeou uma migração em massa de cidadãos venezuelanos para outros países da América Latina, dentre eles, o Brasil.
Segundo o Comitê Nacional para Refugiados (CONARE), 17.865 pessoas solicitaram refúgio em 2017, e 3.375 em 2016.

Diante da realidade urgente do êxodo venezuelano para terras brasileiras, governo, igreja e instituições oferecem auxílio, refúgio, programas de ajuda humanitária para alocar, documentar e prover recursos básicos para quem veio tentar dignamente recomeçar a vida no Brasil.

Uma dessas iniciativas é o Projeto “Português para Acolhimento” criado pela Universidade Federal de Roraima – UFRR e idealizado pela professora do Departamento de Relações Internacionais da UFRR, Julia Camargo que afirma que, o projeto não é apenas para o ensino da língua portuguesa, mas, também, para acolhe-los.

As aulas são ministradas à noite pelos próprios professores da universidade que, aderiram ao projeto de forma voluntária.

Os alunos são todos venezuelanos que estão em Boa Vista e que deram entrada no processo de refúgio.

Na sétima turma do projeto, 75 venezuelanos concluíram o curso e receberam o diploma de conclusão.

Voluntários estudantes do curso de Relações Internacionais da UFRR, também fazem parte do projeto que, além de aulas de português, também oferece assistência jurídica a migrantes e solicitantes de refúgio.

Estima-se que 40 mil entraram pelo estado de Roraima e estejam morando na capital, Boa Vista.

SIGNIS