Um edifício de 24 andares pegou fogo e desabou na madrugada da última terça-feira (01) no Largo do Paissandú em São Paulo (SP).

No prédio residiam 146 famílias. Os bombeiros trabalham há mais de 30 horas para encontrar e resgatar cerca de 44 moradores que seguem desaparecidos.
As famílias que residiam no local perderam tudo o que tinham no acidente.

A Arquidiocese divulgou uma nota de solidariedade às vítimas e, através da Caritas Arquidiocesana, organiza uma campanha para ajudar às vítimas. Confira abaixo na íntegra.

A Arquidiocese de São Paulo manifesta solidariedade e proximidade às pessoas e famílias que foram vítimas do incêndio do prédio da antiga sede da Polícia Federal que ocorreu na madrugada deste 1º de maio na região central da capital paulista.

A pedido do Arcebispo Metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer, desde cedo, a Igreja tem acompanhado os desdobramentos da tragédia através do nosso Vigário episcopal para o Povo da Rua, Padre Julio Lancellotti, e do bispo auxiliar da arquidiocese, Dom Carlos Lema Garcia.

Acompanha também a busca de uma solução emergencial, para as pessoas atingidas. Através da Cáritas Arquidiocesana será promovida uma campanha de doações em favor dos que perderam tudo no incêndio. Tão logo essa ação estiver definida, será amplamente divulgada. Por ora, as doações estão sendo recolhidas na Cruz Vermelha.

É importante que as  responsabilidades da tragédia sejam apuradas.

A Arquidiocese de São Paulo também manifesta solidariedade à comunidade luterana, que teve sua igreja destruída no incêndio. Já foram iniciados contatos para colocar algum templo católico à disposição da celebração dos cultos, enquanto a igreja não for reconstruída.

Assessoria de Imprensa da Arquidiocese de São Paulo